OPINIÃO

Na contramão do ONU-Habitat

Por Luiz Augusto Pereira de Almeida*
Em setembro de 2016, escrevi artigo, publicado em vários jornais, intitulado “A desconstrução do futuro”, no qual observei o descompasso entre as políticas públicas relativas às cidades no Brasil e as recomendações da Terceira Conferência da ONU sobre Habitação e Desenvolvimento Urbano Sustentável (Habitat III), que seria realizada em Quito, no Equador, de 17 a 20 de outubro. Transcorrido um ano, a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal), com apoio do Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos (ONU-Habitat), realizou, em Santiago, no Chile, a Conferência das Cidades, destinada a implementar as medidas sugeridas no Habitat III.
Um dos aspectos discutidos neste evento é a necessidade de um planejamento urbano que proteja as cidades de riscos de desastres, como inundações. Outro avanço refere-se à importância de se implementarem mais parcerias público-privadas e várias frentes de colaboração entre governos e empresas para se promover o desenvolvimento dos municípios, que implica mobilidade, empregabilidade, segurança, bem-estar, moradia digna e sustentabilidade socioeconômica.
Esta síntese sobre a Conferência de Santiago nos alerta que continuamos no caminho errado no Brasil, a começar pela falta de sintonia do poder público em relação à parceria com a iniciativa privada, recomendada por alguns dos maiores especialistas mundiais no tema. O problema começa com a falta de adequado planejamento para a expansão das cidades, cujo crescimento é desordenado, suscitando providências improvisadas para o trânsito, moradia, abastecimento de água, coleta e tratamento de esgotos, geração de empregos e segurança pública.
Falta-nos mais diálogo com a sociedade e os setores produtivos, aproximação com universidades para a aplicação prática de seu conhecimento e segurança jurídica para investir, além de todos os onerosos itens do “custo Brasil”. Com honrosas exceções, os planos diretores quinquenais dos municípios estão longe de conter parâmetros eficazes para o desenvolvimento urbano.
Também poderíamos ter uma infraestrutura urbana e habitacional mais avançada, independentemente das crises econômicas intermitentes, se não fosse tão dificultada a realização de projetos socioambientalmente sustentáveis, que contemplam moradia, água, esgoto, saúde, escolas e infraestrutura. Há numerosos empreendimentos legalmente aprovados e licenciados, mas paralisados por força de discussões judiciais na esfera ambiental. É um custo com o qual todos os brasileiros arcam, considerando o investimento desperdiçado, os empregos não criados, a arrecadação de impostos não efetivada e os problemas sociais e demográficos decorrentes do déficit de moradias.
Na maioria das vezes, no caso dos projetos ecologicamente corretos, a paralisação não se justifica, pois os processos de aprovação e licenciamento ambientais aperfeiçoaram-se, assim como o entendimento dos empreendedores e a tecnologia disponível, além de todos os processos compensatórios eficazes.
O fato de o Brasil estar desconectado das recomendações dos especialistas e organizações multilaterais, como a ONU e a Cepal, está expresso nos números de nossas metrópoles, os quais revelam a proliferação de favelas, o desemprego, a poluição, saneamento básico insuficiente, criminalidade, congestionamentos no trânsito, quedas na rede de energia elétrica e qualidade de vida decrescente. Falta em nosso país a percepção de que esses problemas poderiam ser mitigados por um planejamento urbano de longo prazo, que levasse em conta a inexorabilidade do crescimento e adensamento urbano. Sem priorizar investimentos em soluções urbanísticas que assegurem qualidade de vida e um futuro melhor para os brasileiros, corremos o risco de perpetuar os índices negativos do bem-estar urbano.
Na Conferência de Santiago, demonstrou-se que 85% da população da América Latina e do Caribe estarão vivendo em cidades até 2050. Para nós, brasileiros, permanece no ar a pergunta: como enfrentaremos esse desafio?
* É diretor da Fiabci/Brasil e diretor de Marketing da Sobloco Construtora.
- Toda opinião divulgada neste espaço é de total responsabilidade de quem a emite.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

03
24-
WELLS---160816
07
08
E
09
13
11
18
05
B
Yama-16.03.14
15
22-

 

 

 

 

Leia mais

ALMG vai discutir doenças...
BELO HORIZONTE (MG) - O deputado estadual, Antonio Carlos Arantes (PSDB), participou nesta terça-feira (20) da reunião da Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência, presidida pelo deputado Duarte Bechir (PSD), que definiu a agenda de políticas públicas que serão direcionadas a pessoas com...
Deputado cria FP contra...
BELO HORIZONTE (MG) - O deputado estadual Emídio Madeira, o Emidinho (foto), anunciou nesta quarta-feira (21), durante pronunciamento oficial no Plenário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, a criação da Frente Parlamentar (FP) contra a privatização de Furnas/Eletrobras. Em seu discurso, ele convocou todos...
Senar leva artesãs para a...
GUAXUPÉ (MG) - Ex-alunos do Senar Minas participam da Feira de Máquinas e Implementos Agrícolas (Femagri) realizada pela Cooperativa Regional de Cafeicultores em Guaxupé (Cooxupé), entre os dias 21 e 23 de fevereiro, em Guaxupé (MG) expondo seus produtos. Artesãos e doceiras de Carmo do Rio Claro levaram...
Cássio destina ambulância...
SÃO J. B. GLÓRIA (MG) - Na manhã desta terça-feira (20), o deputado estadual passense, Cássio Soares, realizou a entrega de uma ambulância, semi-UTI, porte grande, para a população de São João Batista do Glória. O veículo foi adquirido a partir de emenda parlamentar do...
Passos esclarece novas...
PASSOS (MG) - A Prefeitura de Passos vai realizar um grande levantamento em todos os seus departamentos a fim de regularizar todos os funcionários nas corretas normas do Ministério do Trabalho. Visando atender a Lei de número 6.514 de 22/12/1977 que aprovou a Portaria de número 3.214/78 do Ministério do Trabalho...
Projeto quer uso de senhas em...
PASSOS (MG) - Será votado na próxima reunião ordinária na Câmara Municipal de Passos, o Projeto de Lei de autoria do vereador Rodrigo Moraes Soares Maia (PP) que dispõe sobre a obrigatoriedade das casas lotéricas e similares em atendimento aos usuários através de senhas, estabelecendo prazos...
Alimentação escolar vai...
BELO HORIZONTE (MG) - Novos e melhores cardápios e capacitação dos profissionais que lidam com a alimentação são as prioridades da Secretaria de Estado de Educação (SEE), por meio da Superintendência de Infraestrutura Escolar, para fomentar as políticas de alimentação...
Mulher é suspeita de matar o...
VARGINHA (MG) - Uma mulher foi presa suspeita de ter matado o companheiro a facadas na manhã desta quarta-feira (21) em Passos (MG). De acordo com a Polícia Militar (PM), ela já havia registrado diversos boletins de violência doméstica contra ele. O crime aconteceu no final da manhã na Rua Norival Severiano,...
Paraíso Futsal se prepara...
<j> SÃO S. PARAÍSO - Pelo segundo ano consecutivo, São Sebastião do Paraíso será a casa da Associação Desportiva Classista Intelli/Paraíso Futsal, ou o Paraíso Futsal. O contrato entre a franquia, que até 2016 tinha como sede a cidade paulista de Orlândia, foi...
Vagas de emprego disponíveis...
PASSOS (MG) - Confira as vagas de emprego no setor de captação do Sistema Nacional de Emprego (Sine) localizado no posto da Unidade de Atendimento Integrado (UAI) de Passos, na Rua dos Engenheiros, 119, Bairro Belo Horizonte, telefone (35) 3526-5955: Código de Vaga - Ocupação e Observações...