OPINIÃO

Na contramão do ONU-Habitat

Por Luiz Augusto Pereira de Almeida*
Em setembro de 2016, escrevi artigo, publicado em vários jornais, intitulado “A desconstrução do futuro”, no qual observei o descompasso entre as políticas públicas relativas às cidades no Brasil e as recomendações da Terceira Conferência da ONU sobre Habitação e Desenvolvimento Urbano Sustentável (Habitat III), que seria realizada em Quito, no Equador, de 17 a 20 de outubro. Transcorrido um ano, a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal), com apoio do Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos (ONU-Habitat), realizou, em Santiago, no Chile, a Conferência das Cidades, destinada a implementar as medidas sugeridas no Habitat III.
Um dos aspectos discutidos neste evento é a necessidade de um planejamento urbano que proteja as cidades de riscos de desastres, como inundações. Outro avanço refere-se à importância de se implementarem mais parcerias público-privadas e várias frentes de colaboração entre governos e empresas para se promover o desenvolvimento dos municípios, que implica mobilidade, empregabilidade, segurança, bem-estar, moradia digna e sustentabilidade socioeconômica.
Esta síntese sobre a Conferência de Santiago nos alerta que continuamos no caminho errado no Brasil, a começar pela falta de sintonia do poder público em relação à parceria com a iniciativa privada, recomendada por alguns dos maiores especialistas mundiais no tema. O problema começa com a falta de adequado planejamento para a expansão das cidades, cujo crescimento é desordenado, suscitando providências improvisadas para o trânsito, moradia, abastecimento de água, coleta e tratamento de esgotos, geração de empregos e segurança pública.
Falta-nos mais diálogo com a sociedade e os setores produtivos, aproximação com universidades para a aplicação prática de seu conhecimento e segurança jurídica para investir, além de todos os onerosos itens do “custo Brasil”. Com honrosas exceções, os planos diretores quinquenais dos municípios estão longe de conter parâmetros eficazes para o desenvolvimento urbano.
Também poderíamos ter uma infraestrutura urbana e habitacional mais avançada, independentemente das crises econômicas intermitentes, se não fosse tão dificultada a realização de projetos socioambientalmente sustentáveis, que contemplam moradia, água, esgoto, saúde, escolas e infraestrutura. Há numerosos empreendimentos legalmente aprovados e licenciados, mas paralisados por força de discussões judiciais na esfera ambiental. É um custo com o qual todos os brasileiros arcam, considerando o investimento desperdiçado, os empregos não criados, a arrecadação de impostos não efetivada e os problemas sociais e demográficos decorrentes do déficit de moradias.
Na maioria das vezes, no caso dos projetos ecologicamente corretos, a paralisação não se justifica, pois os processos de aprovação e licenciamento ambientais aperfeiçoaram-se, assim como o entendimento dos empreendedores e a tecnologia disponível, além de todos os processos compensatórios eficazes.
O fato de o Brasil estar desconectado das recomendações dos especialistas e organizações multilaterais, como a ONU e a Cepal, está expresso nos números de nossas metrópoles, os quais revelam a proliferação de favelas, o desemprego, a poluição, saneamento básico insuficiente, criminalidade, congestionamentos no trânsito, quedas na rede de energia elétrica e qualidade de vida decrescente. Falta em nosso país a percepção de que esses problemas poderiam ser mitigados por um planejamento urbano de longo prazo, que levasse em conta a inexorabilidade do crescimento e adensamento urbano. Sem priorizar investimentos em soluções urbanísticas que assegurem qualidade de vida e um futuro melhor para os brasileiros, corremos o risco de perpetuar os índices negativos do bem-estar urbano.
Na Conferência de Santiago, demonstrou-se que 85% da população da América Latina e do Caribe estarão vivendo em cidades até 2050. Para nós, brasileiros, permanece no ar a pergunta: como enfrentaremos esse desafio?
* É diretor da Fiabci/Brasil e diretor de Marketing da Sobloco Construtora.
- Toda opinião divulgada neste espaço é de total responsabilidade de quem a emite.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

22-
03
13
E
WELLS---160816
15
24-
09
Yama-16.03.14
07
B

 

 

 

 

Leia mais

Nota à Imprensa do governo...
BELO HORIZONTE (MG) - A Secretaria de Estado de Fazenda (SEF) informa que o fluxo de caixa do Tesouro Estadual neste mês de agosto permite que o Governo de Minas Gerais possa antecipar o pagamento da primeira parcela dos salários dos servidores para esta terça-feira (14). Os recursos estarão disponíveis na conta dos...
UPA de Passos terá repasse...
PASSOS (MG) - O Ministério da Saúde aprovou a qualificação da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Passos o que, na prática, funciona como um 'Selo de Qualidade' pelos serviços de saúde prestados no local. A medida garante um repasse extra de R$ 3 milhões por ano. O prefeito Renatinho...
Vôlei e basquete do CPN em...
PASSOS (MG) - Nesse fim de semana terminou em Três Corações, os Jogos Infantis da Juventude (Joju) de basquete. O sub-13 do clube vermelho e branco finalizou sua participação na quarta colocação. Quem também entrou em quadra foram os meninos do vôlei mirim, sub-16, que estiveram em...
Assembleia garante parte de...
BELO HORIZONTE (MG) - A Assembleia Legislativa de Minas Gerais aprovou em segundo turno, na última quarta-feira (8), o Projeto de Lei (PL) 5.5012/18 conhecido como 'Securitização', que permite a venda de parte das dívidas que a administração do estado tem a recolher e, assim, adiantar o recebimento de...
Prefeitos denunciam crise...
PASSOS (MG) - A Associação dos Municípios da Microrregião do Médio Rio Grande (Ameg) e seus prefeitos reuniram-se na última sexta-feira (10) na sede da entidade em Passos para denunciar, durante entrevista coletiva, a crise financeira desencadeada pelo atraso de repasses constitucionais por parte do Governo do...
Prefeitura se preocupa com...
PASSOS (MG) - A Prefeitura de Passos garante que vem trabalhando para resolver o problema dos moradores de rua. Prova disso é que implantou este ano o Comitê Intersetorial da População Em Situação de Rua por meio da Secretaria Estadual de Assistencial Social em parceria com a Secretaria Municipal de...
Sindcont promove torneio de...
PASSOS (MG) - O Sindicato dos Contabilistas de Passos e Região (Sindcont), em comemoração aos seus 50 anos de fundação, realizará em Passos, o 1º Torneio Regional de Integração (Tricon) de futsal dos profissionais de contabilidade. O sorteio das chaves foi realizado dia 3 de agosto e as...
Passos FC já pensa na...
PASSOS (MG) – Depois da segunda derrota consecutiva no Campeonato Mineiro da Segunda Divisão, desta vez de 3 a 1 para o Bétis de Ouro Branco, domingo passado, em Divinópolis, o Passos FC já se prepara para o confronto de esta quarta-feira (15), às 19h, no Estádio Municipal Júlio Aguiar, em...
Terça-feira de filme no Cine...
Filme: 'LOVE STORY (1970)' Título Original: Love Store Atores: Ali McGraw, Ryan O'Neal, Ray Milland   Diretor: Arthur Hiller Gênero: Drama/Romance Duração: 99 minutos Ano de Produção: 1970 Pais de origem: EUA Sinopse: Oliver Barrett IV (Ryan O'Neal), um...
Passos supera meta de...
PASSOS (MG) - A Prefeitura de Passos divulgou nesta segunda-feira (13) os resultados da última campanha de vacinação antirrábica no município, que superou a meta deste ano. De 2 de julho e 9 de agosto, foram vacinados 15.791 cães e 1.735 gatos, totalizando 17.526 animais. Conforme o Departamento Municipal de...